Rede dos Conselhos de Medicina
ESTADO PRECISA DE 223 LEITOS DE UTIS - Leia mais notícias do Clipping Cremern 19/08/2010
TRIBUNA DO NORTE ESTADO PRECISA DE 223 LEITOS DE UTIS Apesar de ser considerado o menos problemático estado do Nordeste em termos de terapia intensiva, há um déficit de 223 leitos de UTI no Rio Grande do Norte, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde. O déficit diz respeito não somente à rede pública, mas ao total de leitos no Estado, incluindo as UTIs dos hospitais particulares. O resultado disso é a constante formação de filas para a obtenção de uma vaga para tratamento de terapia intensiva. No Walfredo Gurgel, por exemplo, a fila diária varia entre 15 e 20 pessoas. O problema é comum em todo o Brasil, especialmente no Nordeste. Segundo dados da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, o RN é o único estado nordestino a atingir a marca de um leito para cada 10 mil habitantes. Na avaliação da Sesap, isso não é suficiente. A formação de filas, por sua vez, é comum no setor público, embora o déficit seja medido em relação a todos os hospitais. O cálculo é feito da seguinte maneira: é preciso ter entre 4% e 10% do total de leitos chamados “gerais”, para tratamentos mais simples, nas UTIs do Estado. O RN deveria ter 9,5 mil “leitos gerais”, embora só possua 7,6 mil. A Secretaria de Saúde fixou em 7% o percentual de leitos de terapia intensiva, o que obriga o Estado a ter 665 vagas de UTI, entre hospitais públicos e privados. Como só existem 442 leitos, o Estado tem o desafio de ampliar significativamente essa oferta. É preciso entender também a relação entre as unidades de terapia públicas e privadas. As filas são mais comuns no setor público porque a maior parte da demanda é de usuários do SUS, mas, como o déficit é geral, não seria possível, por exemplo, resolver o problema contratando leitos na rede privada, a exemplo do que aconteceu no ano passado, quando o Estado e o Município de Natal contrataram respectivamente 32 e 10 leitos de UTI em três hospitais particulares. Uma ação do Ministério Público Estadual tenta “obrigar” o poder público a resolver o déficit, aumentando a oferta até que a necessidade seja satisfeita. Mas isso não é possível. O coordenador de planejamento da Sesap, José Renato Machado, explica. “Mesmo se tentássemos contratar leitos privados, os hospitais não teriam como dar suporte, pois se fizerem o convênio com o SUS não terão como atender aos planos de saúde e aos demais clientes da rede privada. É necessário criar mais leitos e o Estado terá de ser o indutor dessa expansão”, diz José Renato. As dificuldades para conseguir expandir o número de leitos começa nos custos. Segundo o coordenador de planejamento da Sesap, cada leito de UTI custa em média R$ 100 mil, já incluídos os gastos com profissionais de saúde. O poder público, ainda de acordo com José Renato Machado, não tem como providenciar todos os leitos de uma única vez e em pouco tempo. Mas alternativas estão sendo pensadas. As primeiras ações foram prometidas para o início de setembro e passam pela reabilitação da antiga clínica médica que funcionava no Hospital João Machado. Walfredo Gurgel contará com mais 10 novos leitos Duas enfermarias atualmente funcionando no Walfredo Gurgel serão transferidas para a ala de clínica médica, agora reformada, do João Machado. Isso abrirá espaço para 10 novos leitos de UTI no Walfredo Gurgel. Os equipamentos, segundo José Renato, já foram comprados. Além disso, uma parceria com o Hospital Onofre Lopes irá reabilitar sete vagas existentes, mas não utilizadas por falta de profissionais. A unidade intensiva para cardíacos também será transferida para o Onofre Lopes, caso a parceria seja mesmo viabilizada. Mais 10 leitos serão instalados onde hoje funciona a unidade coronariana. O ganho de quase 30 vagas deve ser ampliado com a negociação de novos leitos na rede privada. A intenção é licitar um contrato de longo prazo com os hospitais. Isso possibilitaria a criação de novas alas e novos leitos, ao invés de simplesmente remanejar. “Precisamos dessa parceria com a rede privada. Um contrato longo daria segurança para os hospitais realizarem os altos investimentos necessários. Isso enquanto a rede pública não se estrutura”, encerra José Renato. DIÁRIO DE NATAL EXAMES MÉDICOS // MP AVERIGUA MODIFICAÇÃO O Ministério Público, através da promotora de Saúde Kalina Filgueira, vai averiguar a possibilidade de terceirização dos laboratórios da rede de saúde do município. A afirmação partiu da conselheira federal de Farmácia no Rio Grande do Norte, Lenira da Silva Costa, após uma reunião na manhã dessa quarta-feira com a promotoria. Junto com representantes do Conselho Regional de Farmácia, ela foi mostrar ao órgão as consequências que uma terceirização pode trazer ao serviço e aos servidores. O secretário municipal de Saúde, Thiago Trindade, afirma que os laboratórios não serão terceirizados. Ele informou que será feita uma reformulação na forma de prestação desse serviço. Atualmente, a secretaria tem uma série de fornecedores de materiais e a ideia é concentrar esse fornecimento em apenas uma empresa. As modificações atingem ainda o papel dos laboratórios nas unidade de saúde. "Nas 84 unidades, temos 82 laboratórios. Eu pretendo criar centrais laboratoriais e usar esses locais como postos de coleta. O exame seráfeito na unidade e enviado a central. MÉDICOS // RESIDENTES FAZEM PROTESTO Os médicos residentes em greve realizaram na manhã de ontem uma caminhada em manifestação partindo da Sede do Sindicato dos médicos até a Assembléia Legislativa. Acompanhados de carro de som e munidos com faixas, os médicos pretenderam esclarecer a população e cobrar do poder público, melhorias nas condições de trabalho.As reivindicações dos residentes incluem além de reajuste salarial, a conquista de benefícios como auxílio- moradia, 13º salário, licença maternidade de seis meses e insalubridade. O MOSSORONSE PACIENTES RECEBEM ASSISTÊNCIA MÉDICA DOMICILIAR NATAL - "Quando a velhice chegar, aceita-a, ama-a. Ela é abundante de prazeres se souberes amá-la". É com essa frase em mente que a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) desenvolve o Programa de Internação Domiciliar (PID), oferecendo atendimento humanizado a centenas de idosos desde 2005. O programa consiste na desospitalização de pacientes que apresentem um quadro clínico estável e já atendeu mais de 7 mil pessoas, entre idosos e portadores de limitações físicas, internados nos hospitais Walfredo Gurgel, Santa Catarina, Giselda Trigueiro e Deoclécio Marques. A Sesap pretende, através do PID, oferecer assistência individualizada, reduzir custos com pacientes crônicos e reintegrá-los ao seu meio familiar e social, além de otimizar a oferta de leitos hospitalares. Ao todo cerca de 150 pessoas são atendidas por mês e a meta anual para o Estado é de 1.800 pessoas participantes do programa. A iniciativa busca levar os pacientes com a saúde estabilizada de volta para suas casas, onde são visitados semanalmente por uma equipe técnica formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais, técnicos de enfermagem e terapeutas ocupacionais, por um prazo de até dois meses. "Essa ação é essencial porque quanto mais tempo os doentes permanecem nos hospitais maior a chance de contrair uma infecção", explica Riudete Martins de Souza, coordenadora do PID - RN. Ela explica ainda que cada paciente deve contar obrigatoriamente com um cuidador (geralmente familiares do enfermo) , ou seja, alguém que se responsabilize pela realização do tratamento, com todos cuidados necessários ao bem-estar do paciente. Sesap realiza cursos para formar cuidador de idosos Na perspectiva de melhorar a qualidade de vida dos pacientes atendidos pelo PID e garantir os cuidados necessários à sua recuperação, a Sesap promove neste mês de agosto o 5º Curso de Noções Básicas para o Cuidador de Idoso. O evento acontece todas as quartas-feiras no Hospital Giselda Trigueiro e pretende capacitar cuidadores e interessados para trabalhar como acompanhantes de pessoas idosas e portadores de necessidades especiais. Segundo Riudete Martins de Souza, a capacitação acontece desde 2006. O curso já foi ministrado em Patos-PB e deve chegar a cidades do interior do Estado em breve. "Já capacitamos mais de duas mil pessoas", disse. GAZETA DO OESTE PREFEITURA CONSTRÓI MAIS DUAS UNIDADES BÁSICAS Os investimentos na área da saúde avançam no Governo Mossoró da Gente. A Prefeitura Municipal iniciou a construção de duas novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) nos bairros Bom Pastor e Ilha de Santa Luzia. As duas unidades de saúde perfazem um investimento da ordem de R$ 750 mil, com recursos provenientes de emenda de autoria do deputado Betinho Rosado (DEM). A construção das UBSs é mais um compromisso resgatado pela prefeita Fafá Rosado com a população de Mossoró. As obras iniciadas agora têm o prazo de cinco meses para serem concluídas, como informa a secretária de Desenvolvimento Territorial e Ambiental (SEDETEMA), Kátia Pinto. O Bom Pastor ainda não tem UBS e nos próximos meses vai ganhar esse benefício. Já a Ilha de Santa Luzia conta com a UBS, mas que funciona em sede alugada, e com a obra passará a ter uma unidade de saúde adequada às necessidades dos moradores. A gerente da Saúde, Jaqueline Amaral, diz que cada UBS funcionará com uma equipe do Programa Saúde da Família (PSF), atendendo diferentes especialidades médicas e programas de assistência à saúde. Ao longo de quase seis anos de administração (2005-2010), o Governo Fafá Rosado entregou cinco Unidades Básicas de Saúde, além das duas em construção. Foram construídas as UBSs do Abolição III, Alto do Sumaré, Alameda dos Cajueiros, Alto da Conceição e Passagem de Pedras, na zona rural do município. As demais unidades foram reformadas ou ampliadas na atual gestão. Com os novos investimentos na saúde, o município passará a ter 48 Unidades Básicas de Saúde. "Como vemos, Mossoró está bem dotada de infraestrutura de assistência básica à saúde. Trabalhamos para que a população tenha acesso a um sistema de saúde de qualidade e possa ser bem atendida", diz a prefeita Fafá Rosado, lembrando outros investimentos do seu governo no setor. Além de cinco UBS inauguradas e duas outras em construção, o governo Fafá Rosado entregou à cidade a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Santo Antônio, obra realizada com recursos próprios. Também com verba do erário municipal, a Prefeitura está concluindo a UPA do Belo Horizonte, além de ter ampliado serviços e estrutura do Centro Clínico Vingt-un Rosado JORNAL DE FATO GREVE DE MÉDICOS RESIDENTES É TRATADA POR DEPUTADOS NA AL Os deputados estaduais, em sessão realizada ontem na Assembleia Legislativa, sugeriram a criação de um documento que será encaminhado à bancada federal do Rio Grande do Norte, solicitando que atendam as reivindicações dos médicos residentes, que estão em greve. Fernando Mineiro anunciou que recebeu uma comissão de médicos residentes, pedindo apoio na luta da categoria. O parlamentar sugeriu a criação de um requerimento para mandar para toda a bancada federal, pedindo o posicionamento a respeito da greve nacional desses profissionais. O presidente da Assembleia acatou a proposição e ainda assumiu o compromisso de, após a sessão, pedir a ajuda do deputado federal Fábio Faria, que é líder da bancada em Brasília (DF). Os deputados Getúlio Rêgo e Paulo Davim também externaram sua preocupação com as reivindicações dos médicos residentes. "Como parlamentar e médico, entendo as reivindicações dos colegas residentes. A luta incansável de vocês com plantões sucessivos. Nada mais justo do que terem dignidade nessa parceria com a sociedade", declarou Getúlio Rêgo. "Estou solidário à luta dos meus colegas residentes, que têm um papel fundamental na saúde da população. As reivindicações são absolutamente legítimas. Quero mais uma vez reiterar meu legítimo e irrestrito apoio à causa de vocês. Acho que os médicos residentes precisam de leis para que possam ter uma melhor formação", ressaltou Paulo Davim. CORREIO DA TARDE MÉDICOS RESIDENTES DO RN PARALISAM SUAS ATIVIDADES Os residentes médicos de todo o país entraram em greve desde ontem (17). Os estudantes querem um reajuste de 37% no valor da bolsa auxílio, que atualmente é de R$1.916.45, além de auxílio alimentação e transporte, décimo terceiro, e ampliação da licença gestante para seis meses. O valor do pagamento encontra-se congelado desde 2006. Desde abril do decorrente ano que os residentes buscam negociação com os ministérios da Saúde e da Educação sobre suas reivindicações, mas até hoje não houve proposta que assegurasse a valorização dos profissionais e proporcionasse melhorias nas condições da formação. A decisão pela suspensão dos atendimentos por tempo indeterminado, exceção feita à prestação de serviços essenciais (urgências, emergências e UTIs), foi tomada pela Comissão de Greve da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), formada por diversos representantes estaduais. O Rio Grande do Norte conta com 170 residentes atuando em sete hospitais públicos do Estado, atuando diretamente em atendimentos e procedimentos cirúrgicos. A organização do movimento acredita na adesão de 70% dos estudantes à greve. De acordo com Nicole Negreiros, residente do Hospital de Pediatria Eriberto Ferreira Bezerra, entre as principais reivindicações dos estudantes está o cumprimento das 60 horas de trabalho semanais. "O trabalho que nós fazemos ultrapassando o horário previsto da jornada não é acrescido de horas extras. Além disso, os profissionais da área médica não são suficientes para suprir a demanda dos estagiários, embora sejam assíduos". Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos (Sinmed), Geraldo Ferreira, esse excesso de horas é reflexo do tratamento dado aos estagiários, que em alguns casos trabalham como profissionais, já que executam e atendem a serviços que não lhe são cabíveis em primeira mão. O representante do Sinmed disse ainda que o governo federal ofereceu 17% de aumento, mas a proposta foi rejeitada pela classe. Uma nova proposição com 20% de reajuste, com a primeira parcela paga em janeiro de 2011, foi apresentada e novamente rejeitada pela Associação Nacional de Médicos Residentes. O Sindicato está oferecendo apoio jurídico e de comunicação aos estudantes. A Campanha de Mobilização pelo Reajuste da Bolsa ganhou força com paralisações de 24 horas realizadas em 23 estados, de 13 a 15 de abril. Desde então, a ANMR já participou de diversas reuniões em Brasília nas quais sua pauta de reivindicações foi discutida, tanto na Comissão Nacional de Residência Médica quanto no gabinete da Diretora do Departamento de Gestão da Educação na Saúde, Ana Estela Haddad. Embora o governo tenha cedido em alguns pontos, o índice oferecido como aumento (17%) permanece muito aquém do desejado. Depois de uma assembléia, na manhã de hoje, os residentes seguiram para a Câmara dos Deputados Estaduais com o objetivo de pleitear apoio dos parlamentares na negociação nacional. LEONARDO DEFENDE CONSTRUÇÃO DE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EM MOSSORÓ Uma das propostas do deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) na área da saúde é a construção do Hospital Universitário de Mossoró pelo Governo do Estado. O parlamentar que disputa reeleição ao segundo mandato na Assembleia Legislativa defendeu a proposta em entrevista ao Programa Observador Político da TV Mossoró, concedida no início desta semana. "Reeleito, vou apresentar esse projeto na Assembleia Legislativa", assegurou Leonardo, considerando que atualmente os alunos do Curso de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) fazem estágio e residência em hospitais conveniados com a instituição acadêmica. "O Hospital Universitário é fundamental para os alunos de Medicina", reiterou Leonardo. O parlamentar lembra que este ano, a Uern forma a primeira turma de 25 alunos do Curso de Medicina. "E, partir de agora, temos turmas se formando todos os anos, daí a importância da construção desse hospital, para que os novos médicos tenham as melhores condições de formação profissional", comentou Leonardo Nogueira, Lembrando que, já em 2011, Mossoró ganhará outro Curso de Medicina. Leonardo se referiu ao Curso de Medicina da Facene (faculdade particular), planejado para o ano que vêm. Para o parlamentar e candidato à reeleição, a construção do Hospital Universitário vai assegurar que os jovens médicos, formados em Mossoró, vão permanecer prestando serviços à população daqui e da região, ao invés de irem fazer residência fora e ficando por lá mesmo. Agenda Nesta quarta-feira (18), o deputado Leonardo Nogueira segue com sua agenda de campanha, em Mossoró. Pela manhã ele tem compromissos políticos em Natal, reunindo-se com apoiadores. De volta para Mossoró, ele visita o Shopping Oásis, às 15h, e às 17, faz caminhada no conjunto Nova Vida. DIA D DE VACINA CONSEGUE ATINGIR 53% DA POPULAÇÃO INFANTIL NA CIDADE Considerado satisfatório o saldo da vacinação contra a paralisia infantil no "dia D" da segunda etapa da campanha nacional, que aconteceu sábado passado no município de Assú. O balanço foi anunciado pelo secretário municipal de Saúde, Jader Torquato do Rego Neto. Ele disse que o levantamento estatístico produzido pelas equipes de vacinadores identificou que foi possível atingir 53% da meta preconizada pelo Ministério da Saúde. Jader Torquato declarou que os números indicam que foram imunizadas contra a paralisia infantil em todo o município 2.360 crianças na faixa etária de 0 a 5 anos. Este dado, conforme reiterou o secretário, representa 53% da meta de 95% determinada pelo órgão federal. Os 95% correspondem a um total de 4.244 crianças que deverão ser vacinadas. Os 100% representam 4.468 menores. O trabalho vacinal vai tendo continuidade por meio das unidades básicas de saúde do município. O secretário de Saúde confirmou que, igualmente, prossegue a vacinação contra a hepatite B voltada para um público situado na faixa de 11 a 19 anos de idade. O atendimento também se verifica por intermédio das unidades básicas de saúde, postos do Programa Saúde da Família (PSF) e no Centro Clínico Dr. Ezequiel Epaminondas da Fonseca Filho, no horário de 8h às 13h, diariamente de segunda à sexta-feira. Ambas as campanhas se desenvolverão até que as respectivas metas sejam alcançadas. Em Assú a meta é vacinar 50% do público entre 11 a 19 anos contra a hepatite B. Este percentual representa um quantitativo de 4.280 pessoas. Os 100% representaria um total de 8.560 pessoas. O secretário Jader Torquato disse que, além de crianças e adolescentes de 11 a 19 anos de idade, Podem vacinar-se contra a doença profissionais de saúde, policiais (civis e militares), manicures/pedicures, detentos e profissionais do sexo. A partir de hoje, a pasta municipal de Saúde começará outra campanha de vacinação. Trata-se da campanha vacinal antirábica voltada para cachorros e gatos. Amanhã, a partir de 7h30, será iniciada a vacinação antirábica no Centro Clínico Dr. Ezequiel Epaminondas da Fonseca Filho. A partir de 8h idêntico trabalho se verificará no PSF da comunidade rural de Linda Flor. No restante do país segundo informa a repórter Juliana Costa, já foram vacinadas mais de dez milhões de crianças. Assessoria de Comunicação do Cremern Telefone: 4006-5343 Contatos: Casciano Vidal: 9990-1473 Ana Carmem: 9909-4100
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner