Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
SAÚDE MUNICIPAL ESTÁ NA MIRA DO MP - Leia mais notícias no Clipping Cremern 09/11/2010
TRIBUNA DO NORTE SAÚDE MUNICIPAL ESTÁ NA MIRA DO MP O modelo de gestão das unidades de saúde de média e alta complexidade, que são de responsabilidade da Prefeitura do Natal, está sob a mira do Ministério Público. De acordo com as promotoras da Saúde, Iara Pinheiro e Elaine Cardoso, ao terceirizar os serviços o município descarta a participação do executivo no gerenciamento dos atendimentos e procedimentos realizados pelos complexos de saúde. Para o secretário municipal de Saúde, Thiago Trindade, o modelo gerencial é legal e aprovado pela população. “A preocupação do Ministério Público é inviabilizar o modelo de gestão da UPA do Pajuçara”, analisa Trindade. A Promotoria de Saúde, representada pelas promotoras Iara Pinheiro e Elaine Cardoso, em entrevista concedida ao jornalista Diógenes Dantas na manhã de ontem, analisou que o modelo é ilegal e viola a lei de improbidade administrativa. Além da UPA, o recém-inaugurado Ambulatório Médico Especializado (AME), em Nova Natal, poderá ter seu modelo de gestão analisado pelas promotoras. Na primeira votação do recurso ajuizado pelo Ministério Público contra a Prefeitura, três juízes votaram pela improcedência do recurso, o que resultou na derrubada da liminar. Com a derrota, a Promotoria da Saúde ajuizou uma ação para verificar a regularização do contrato da UPA. As promotoras querem que o contrato com o Instituto Pernambucano de Assistência e Saúde (Ipas) para gestão da UPA seja suspenso e que o município absorva o gerenciamento da unidade de saúde. “O município de Natal não tem condições de manter o mesmo nível de serviços que são prestados hoje pela UPA”, afirma Trindade. Durante a entrevista, a promotora Elaine Cardoso afirmou que Natal, por ser uma cidade de médio porte, deveria ter condições de gerenciar a UPA, pois o Ipas contratou a Cooperativa dos Médicos que também presta serviços ao município. Apesar da importância dos serviços ser levada em conta pelas promotoras, o inquérito prossegue. Thiago Trindade afirma que o modelo de gestão será mantido até que o veredicto final saia. “Se o Supremo Tribunal disser que o modelo é irregular, nós iremos rever essa questão. Até lá, manteremos o que vem sendo feito. Movimento na UPA do Pajuçara é considerado baixo Quem procurou atendimento médico na UPA do Pajuçara na manhã de ontem ficou surpreso. A Unidade estava funcionando com uma demanda de pacientes abaixo da normalidade para uma segunda-feira. Enquanto isso, no Ambulatório Médico Especializado (AME), no conjunto Nova Natal, as filas eram longas para confecção do cartão de atendimento e marcação de consultas. As reclamações eram generalizadas. “Existem pessoas que chegam às 5h, não conseguem fichas e vão embora”, atesta a dona de casa Cláudia Silva. De acordo com informações de uma das funcionárias do AME, mais de 1,5 mil cartões já foram feitos desde a inauguração do local no dia 1º de novembro. Para Thiago Trindade, essa alta procura pela população nos primeiros dias de funcionamento do local é comum, não é um problema. Na contramão do pensamento de Trindade, está o da dona de casa Ilda Moura, 48 anos. “É a terceira vez que venho tentar fazer o cartão. Até briga eu já presenciei aqui. Isso não é comum”. No local, quem deseja fazer o cartão de atendimento, aguarda na parte externa do prédio debaixo de sol forte. Além disso, para piorar a situação, o ambulatório serve como ponto de distribuição do Programa Estadual do Leite. Inconformada por não ter vacinado seu filho de um mês de vida, Telma Micarla reclamava do atendimento no local. “Venho tentando vacinar meu filho e não consigo. Aqui tem a vacina e não tem um profissional apto a aplicar”. Thiago Trindade, afirmou antecipadamente, que a informação não procede, pois o AME dispõe de uma equipe de enfermagem completa e que iria entrar em contato com a assistente social do local para averiguar o motivo pelo qual o bebê não foi vacinado. Ortopedistas estão parados há 10 dias e cobram pagamentos Sem receber salários há cinco meses, os médicos ortopedistas que atendem no Hospital Geral Dr. Deoclécio Marques de Lucena, em Parnamirim, paralisaram atividades há dez dias. Até hoje, cerca de 50 cirurgias eletivas de ortopedia deixaram de ser realizadas. No Walfredo Gurgel, os corredores estão lotados de pacientes aguardando autorização para procedimentos cirúrgicos. Até a tarde de ontem, 32 pessoas esperavam liberação das cirurgias pela Secretaria Municipal de Saúde. Dos três médicos lotados no Hospital Geral, em Parnamirim, apenas um está cumprindo o plantão. A medida tomada pelos profissionais visa pressionar a Secretaria Estadual de Saúde a realizar o pagamento dos cinco meses atrasados. “Os médicos querem apenas que paguem seus salários”, afirma o diretor geral do hospital, Deoclécio Marques de Lucena Filho. No hospital, são feitos apenas os procedimentos iniciais nos pacientes com trauma ortopédico. Os casos graves e que necessitam cirurgias, são encaminhados ao Walfredo Gurgel. Enquanto sobram leitos no hospital Deoclécio Marques de Lucena, os corredores do Walfredo Gurgel estão lotados com pacientes esperando autorização para cirurgias eletivas que são realizadas pelos hospitais Médico Cirúrgico e Memorial. O agricultor Gonçalo Oliveira, deu entrada no Walfredo Gurgel com uma fratura no punho no dia 16 de outubro e até ontem não tinha recebido autorização para a cirurgia. A maioria dos acidentes que provocam traumas ortopédicos é causada por colisão entre veículos, motos e bicicletas. Kerginaldo Vicente, 33 anos, sofreu uma queda de bicicleta que resultou numa fratura no ombro direito que necessita de uma cirurgia corretiva. “Fui encaminhado ao hospital Médico Cirúrgico e momentos antes da cirurgia fui mandado de volta pra cá (Walfredo Gurgel). Agora vou esperar por mais uma autorização para o Memorial, onde é feito esse tipo de cirurgia”. De acordo com Deoclécio Filho, a Sesap está trabalhando para solucionar os problemas dos ortopedistas o mais breve possível. “Nós somos hospital de referência em ortopedia e se continuarmos sem realizar cirurgias, o Walfredo Gurgel ficará cada vez mais lotado”. Dos trinta leitos destinados aos pacientes de ortopedia em Parnamirim, apenas cinco estão ocupados por pacientes ambulatoriais e os demais estão vazios. Além da problemática gerada pela paralisação dos médicos ortopedistas, a morosidade no processo de autorização das cirurgias eletivas nos hospitais credenciados à Secretaria Municipal de Saúde (Memorial e Médico Cirúrgico), amplia o número de pacientes nos corredores do Walfredo Gurgel. “A demanda ortopédica só cresce e a prefeitura está trabalhando para suprir as necessidades do sistema”, afirma o secretário municipal de Saúde, Thiago Trindade. Antes da paralisação dos médicos, o hospital Deoclécio Marques de Lucena realizava, em média, 6 cirurgias ortopédicas por dia, o que correspondia a 70% dos procedimentos realizados na rede pública de saúde. Segundo o diretor geral do hospital, não há previsão de quando a situação dos ortopedistas que ali trabalham será regularizada. SMS abre processo seletivo A Secretaria Municipal de Saúde de Natal abre processo seletivo interno para profissionais que irão compor as equipes dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF, para as categorias de pediatras; ginecologista /obstetra; fisioterapeuta; farmacêutico; psicólogo; nutricionista; assistente social e professor de educação física. As inscrições estão abertasaté o dia 18 de novembro, no horário das 8 às 12 horas, no Núcleo de Cadastro e Lotação – NCL, na sede da SMS que fica situada na Rua Fabrício Pedrosa, 915, andar térreo. Poderão concorrer ao processo seletivo profissionais efetivos do quadro da SMS e os cedidos por força do processo da municipalização dos serviços de saúde de Natal, conforme a necessidade e prioridade estabelecidas por esta instituição. A carga horária é de 40 horas semanais, sendo facultado 20 horas para médicos e fisioterapeutas. A SMS oferta uma gratificação de 1.787,50 (Hum mil setecentos e oitenta e sete reais e cinqüenta centavos) para o profissional medico com 20 horas semanais; demais profissionais com 20 horas no valor de 1.501,45 (hum mil quinhentos e um reais e quarenta e cinco centavos). Para os demais profissionais com 40 horas a gratificação será no valor de 3.002,91 (três mil e dois reais e noventa e um centavos). SAMU GANHA SERVIÇO DE EMERGÊNCIA Os natalenses agora podem contar com um maior apoio na área de Saúde Mental pelo SUS. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através do SAMU Natal, oferece a partir deste mês plantões de atendimentos psiquiátricos noturnos e durante finais de semana e feriados. Segundo a coordenadora do Núcleo de Saúde Mental de Natal, Cristiana Leite, qualquer paciente em crise mental ou transtorno recorrente do abuso de álcool e drogas ao ligar para a central do SAMU receberá orientações já por telefone e, quando necessário, também o atendimento com psiquiatras no próprio domicílio. Ela explica que o especialista dentro do serviço de emergência servirá como um intermediador em entre o paciente e os CAPS, o Hospital psiquiátrico João Machado (HJM) e os Ambulatórios de Saúde Mental, fazendo toda a triagem e encaminhamentos necessários. Para ter acesso ao serviço, a população deve ligar para o número 192. O novo trabalho desenvolvido faz parte das ações do município em relação ao projeto de reforma psiquiátrica nacional que tem como objetivo a diminuição de internação em hospitais psiquiátricos em todo o Brasil, humanização dos atendimentos e fortalecimento dos serviços substitutivos, como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). “Antes, se um paciente entrasse em surto de madrugada, por exemplo, os familiares tinham que ligar para a polícia, que o levaria diretamente para um hospital psiquiátrico, sem os equipamentos e técnicas adequadas, tínhamos os psiquiatras nos CAPS, mas eles não saiam do centro para ir até o paciente. Agora, a população terá especialistas e ambulâncias à disposição, para que o atendimento ocorra de forma menos agressiva e o mais humanizado possível”, diz a coordenadora. SMS ABRE PROCESSO SELETIVO PARA EQUIPES DO NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA A Secretaria Municipal de Saúde de Natal abriu inscrições para processo seletivo interno para profissionais que irão compor as equipes dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF, para as categorias de pediatras; ginecologista /obstetra; fisioterapeuta; farmacêutico; psicólogo; nutricionista; assistente social e professor de educação física. As inscrições estão abertas no período de 4 a 18 de novembro de 2010, no horário das 8 às 12 horas, no Núcleo de Cadastro e Lotação – NCL, na sede da SMS que fica situada na Rua Fabrício Pedrosa, 915, andar térreo. Poderão concorrer ao processo seletivo profissionais efetivos do quadro da SMS e os cedidos por força do processo da municipalização dos serviços de saúde de Natal, conforme a necessidade e prioridade estabelecidas por esta instituição. A carga horária é de 40 horas semanais, sendo facultado 20 horas para médicos e fisioterapeutas. A SMS oferta uma gratificação de R$ 1.787,50 para o profissional medico com 20 horas semanais; demais profissionais com 20 horas no valor de R$ 1.501,45. Para os demais profissionais com 40 horas a gratificação será no valor de R$ 3.002,91 Com informações da SMS. SAMU NATAL INICIA ATENDIMENTOS DE EMERGÊNCIA PSIQUIÁTRICA Os natalenses agora podem contar com um maior apoio na área de Saúde Mental pelo SUS. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através dos serviços da SAMU Natal, oferece a partir deste mês de novembro plantões de atendimentos psiquiátricos noturnos e durante finais de semana e feriados. Segundo a coordenadora do Núcleo de Saúde Mental de Natal, Cristiana Leite, qualquer paciente em crise mental ou transtorno recorrente do abuso de álcool e drogas ao ligar para a central da SAMU receberá orientações já por telefone e, quando necessário, também o atendimento com psiquiatras no próprio domicílio. Ela explica que especialista dentro do serviço de emergência servirá como um intermediador em entre o paciente e os CAPS, o Hospital psiquiátrico João Machado (HJM) e os Ambulatórios de Saúde Mental, fazendo toda a triagem e encaminhamentos necessários. Para ter acesso ao serviço, a população deve ligar para o número 192. O novo trabalho desenvolvido faz parte das ações do município em relação ao projeto de reforma psiquiátrica nacional que tem como objetivo a diminuição de internação em hospitais psiquiátricos em todo o Brasil, humanização dos atendimentos e fortalecimento dos serviços substitutivos, como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). “Antes, se um paciente entrasse em surto de madrugada, por exemplo, os familiares tinham que ligar para a polícia, que o levaria diretamente para um hospital psiquiátrico, sem os equipamentos e técnicas adequadas, tínhamos os psiquiatras nos CAPS, mas eles não saiam do centro para ir até o paciente. Agora, a população terá especialistas e ambulâncias à disposição para esses momentos, para que o atendimento ocorra de forma menos agressiva e o mais humanizado possível”, coloca a coordenadora do Núcleo de Saúde Mental. Cristiana Leite destaca ainda que o projeto, desenvolvido pelo Núcleo de Saúde Mental da SMS, é uma iniciativa pioneira, sendo, até o momento, implantada apenas em três cidades do país, Campinas (SP), Belo Horizonte (MG) e agora em Natal (RN) e que todos os plantões da equipe, formada por seis psiquiatras, estão sendo supervisionados por um consultor nacional do Ministério da Saúde. Fonte: Ass. de comunicação da SMS DIÁRIO DE NATAL SMS QUER AMPLIAR CONTRATO PARA GESTÃO DE REMÉDIOS Terceirização total é apontada pelo órgão como saída para acabar com o desabastecimento no município A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pretende ampliar o contrato com o Núcleo de Processamento de Alimentos e Medicamentos (Nuplan) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que é responsável pelo armazenamento e controle parcial da distribuição dos medicamentos destinados aos postos de saúde de Natal. A Prefeitura pretende terceirizar completamente o serviço. Além das funções já exercidas, o Núcleo seria responsável desde a compra até a entrega nas unidades de saúde. A secretaria diz que terceirização é saída para acabar com o desabastecimento (leia matéria abaixo). Hoje, as prateleiras do Nuplam encontram-se com um número bastante reduzido de medicamentos em razão dos muitos problemas na hora da compra dos remédios, que é de responsabilidade municipal. O núcleo ainda espera receber uma conta em atraso de R$ 940 mil. Em reunião entre o diretor do Nuplan, Carlos Lima, e o secretário de Saúde, Thiago Trindade, foi apontadocomo saída para o problema, a mudança da fonte originária do dinheiro. Ao invés de sair dos cofres da prefeitura, a verba viria do governo federal através do Sistema Único de Saúde (SUS). A situação está sendo avaliada pela assessoria jurídica da secretaria. Porém, um das condições para que o contrato entre o Nuplan e a SMS seja ampliado, transferindo toda a responsabilidade de compra, armazenamento e distribuição, é que a fonte de pagamento seja o SUS. Carlos Lima explica que existe uma grande estrutura criada para atender a SMS. O galpão que armazena os medicamentos é todo informatizado, climatizado e tem segurança 24 horas. São 12 funcionários envolvidos no controle da medicação. "O Nuplan está discutindo essa possibilidade com a Prefeitura, estudando um esboço do que seria a responsabilidade de cada um", explicou Carlos Lima. A partir do momento que o Núcleo recebe os produtos dos fornecedores da Prefeitura até a hora que os pedidos são enviados ao setor da secretaria reponsável pela distribuição nos posto de saúde existe um controle total de entradas e saídas. Nessa cadeia, cabe à SMS comprar os medicamentos, enviar os pedidos ao Nuplam, recebé-los e entregá-los no posto. Só que essa função não vem tendo êxito por parte do município. As prateleiras do galpão de armazenamento estão quase vazias e a população reclama da falta de remédios nas unidades de saúde. "Já venho da Ribeira, Alecrim e Neópolis e não tem Rivotril. Vou precisar esperar por mais 15 dias?", questionou Rinalva de Souza, que estava na Unidade de Saúde da Cidade da Esperança. Já Almir Dias dos Santos há mais de um ano não recebe Diazepam pelo posto de saúde. "É um antidepressivo que preciso tomar todos os dias. Mas como sei que nunca tem eu compro", relatou. Processo seria feito via Funpec O secretário de Saúde, Thiago Trindade, admitiu que deseja fazer um contrato ampliado com a Fundação Norte-rio-grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec) para que seja executado através do Nuplan todo serviço referente a compra, armazenamento e distribuição. "Pensamos na Funpec, que é uma instituição de ensino e não uma empresa privada. Eles podem comprar os remédios diretamente dos laboratórios de forma mais barata. O que não podemos é ficar sujeitos a essa cadeia", esclareceu. A cadeia a que Thiago refere-se são os trâmites licitatórios para a compra de medicamentos. Segundo ele, o desabastecimento não seria por falta de dinheiro, mas o longo caminho desde o momento da compra até chegar na unidade de saúde. O processo de licitação é aberto, tem o tempo mínimo de duração, as impugnações e não há previsão do tempo que isso possa durar, o que resultaria na impossibilidade de planejamento. "Tem um processo que foi aberto em 2008 que está sendo concluído hoje", exemplificou. O secretário afirma que para não deixar as unidades sem medicamentos, fez duas compras emergencias - sem licitação - sendo uma delas exigência do Ministério Público. SAIBA MAIS O núcleo espera receber R$ 940 mil atrasados da prefeitura. O contrato entre o Nuplan e a SMS foi firmado no final do primeiro semestre do ano de 2009, com duração de seis meses, no valor mensal de R$ 101 mil. O contrato foi estendido por mais dois meses com parcelas mensais de R$ 126 mil e a prefeitura deixou um débito de R$ 70 mil. A documentação foi renovada por mais 12 meses, no qual deveria ser pago todo mês R$ 174 mil, mas há cinco meses o município não paga a despesa. HOSPITAL // SANTA CATARINA FAZ 25 ANOS No próximo dia 13, o Hospital Dr. José Pedro Bezerra vai completar 25 anos de funcionamento. Também chamado de Santa Catarina , o hospital foi fundado em novembro de 1985. Para comemorar a data, a unidade está organizando uma série de ações. A programação terá início na próxima quarta-feira com a "Alvorada dos 25 anos". Pela manhã, funcionários e a comunidade local serão convidados a dar um abraço simbólico no HSC. Depois disso, todos sairão numa micareta pelas ruas adjacentes, com faixas parabenizando o hospital. SAÚDE // REUNIÃO ABORDA MORTALIDADE Com o objetivo de conscientizar e mobilizar a sociedade, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) promove a reunião do Comitê Estadual de Mortalidade Materna e Fórum Perinatal, hoje das 8h às 12h, no Auditório do Hospital Santa Catarina. O evento será iniciado com a leitura da ata da reunião anterior, seguirá com a apresentação da Rede Perinatal da 5ª Regional de Saúde do Estado - Santa Cruz e das "Diretrizes da Rede Perinatal: caminhos para implementar as diretrizes" e termina com uma roda de conversa e encaminhamentos. "A reunião ocorre mensalmente com o intuito de fortalecer a linha de atenção perinatal do RN", explica a coordenadora de Promoção à Saúde da Sesap Celeste Rocha. SUPERBACTÉRIA // ESPECIALISTA MINIMIZA RISCOS Procedimentos simples como higienizar as mãos por parte de pacientes, acompanhantes e profissionais nas unidades hospitalares e objetos como termômetros, aparelhos de verificar pressão arterial e lençóis podem ser decisivos no "combate" a superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase) nos hospitais. A informação é do presidente da Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia, Hênio Lacerda, que afirma que o microorganismo atingiu apenas pessoas internadas em Unidades de Terapia Intesniva (UTI's) e com estado de saúde debilitado pelo uso de catéter, sonda, respiradores artificiais. Hênio esclarece que a população não precisa ter receio da chamada superbactéria porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já está tomando às devidas precauções. Uma dessas normas é a retenção das receitas médicas para compra de antibióticos nas farmácias, a partir de 28 de novembro, conforme determinação da Anvisa publicada no final de outubro. "O objetivo dessa recomendação é controlar a venda desse tipo de medicamento que podem fortalecer ainda mais as bactérias se usado de forma irregular", alerta o médico. O presidente explica que não foi detectado nenhum caso de pessoas saudáveis serem infectados pela bactéria. O MOSSOROENSE SESAP PEDE ATENÇÃO PARA OS CASOS DA GRIPE A (H1N1) Em 2009, a pandemia da Gripe A (H1N1) causou temor na população. Milhares de pessoas foram contaminadas pelo vírus e em Mossoró três casos de óbito decorrentes da contaminação foram registrados. Desde 10 de agosto deste ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) se pronunciou sobre o fim da pandemia. Mas, apesar disso, a Secretaria do Estado da Saúde Pública (Sesap) emitiu no domingo, 7, um alerta para os municípios continuarem atentos aos casos suspeitos nesse período pós-pandêmico. Segundo a responsável pelo setor de Vigilância à Saúde em Mossoró, Allany Medeiros, mesmo antes do comunicado, as ações com esta finalidade nunca deixaram de ser realizadas. "Nós nunca deixamos de ter atenção aos casos suspeitos. Todas as coletas são realizadas no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), mesmo após o fim da pandemia", explica. No ano de 2010, em todo o Estado foi registrada uma redução significativa no número de casos em relação ao ano anterior. Ainda assim, em 2009 foram 16 óbitos no Estado, contra quatro este ano. Em função de um pedido da OMS e também do Ministério da Saúde, os municípios devem continuar monitorando a circulação do vírus e a investigação dos casos graves ou situações de surto com atualização dos fluxos de informações. O objetivo dos órgãos de saúde é monitorar possíveis alterações do vírus para formas mais letais. "Estamos seguindo a mesma orientação: notificando os casos suspeitos e fazendo a coleta de amostras dos casos para que sejam examinados", confirma Allany. Segundo ela, em 2010, nenhum caso foi registrado no município. A solicitação da Sesap é que as unidades de saúde continuem realizando esse trabalho, colhendo informações em pessoas de qualquer idade, mesmo as que foram vacinadas contra a Influenza A. "Alertamos para a importância de darmos continuidade à vigilância e à notificação dos casos de Gripe A, de modo que possamos detectar precocemente eventuais alterações do vírus H1N1 e planejar ações de saúde, caso se faça necessário", explicou a técnica responsável pela Vigilância da Influenza no RN, Stella Leal. O monitoramento e as ações preventivas devem continuar, especialmente em relação aos grupos mais vulneráveis para desenvolver formas graves da doença, como gestantes, portadores de doenças crônicas e crianças menores de dois anos de idade. ASSÚ CONTARÁ COM INVESTIMENTOS NA SAÚDE EM 2011 ASSÚ - Embora mantenha-se uma permanente atenção com todo o conjunto das administração, a gestão municipal tratará no exercício de 2011 o setor de saúde pública como um dos carros-chefe. Este é o propósito do prefeito Ivan Lopes Júnior (PP) que pretende fazer do ano que vem o momento de consolidação da área com uma série de investimentos. A intenção do chefe do Executivo é implementar políticas estruturantes neste setor. "Todos os órgãos administrativos continuarão sendo prioridade, mas haverá um cuidado todo especial no sentido de garantir um salto de qualidade na prestação de serviços de saúde", reafirmou o prefeito, dizendo que a área já absorve ações de grande relevância. Porém, reconheceu que muito ainda precisa ser realizado para elevar o nível de excelência dos serviços oferecidos à população. E espera fazer de 2011 o ponto de partida deste objetivo. Um dos desafios é a ampliação do raio de cobertura dos núcleos do Programa Saúde da Família (PSF). Hoje, o município dispõe de 15 unidades - significando um alcance de 70% em todo o território municipal. A zona rural já possui 100% de abrangência do PSF. Para atingir os 100% em todo o município serão necessárias 21 unidades, conforme o coordenador geral do PSF e do Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS), Kleber Barreto de Melo Segundo. Outro passo significativo será a instituição de uma unidade de pronto-atendimento básico que funcionará 24 horas por dia. O órgão se localizará no interior do PSF situado no bairro São João e, segundo o prefeito, disporá de estrutura pré-hospitalar fixa e com integração às redes regional e estadual de atenção às urgências/emergências. Toda a sua estrutura foi definida no Projeto de Implantação do Pronto Atendimento Municipal encaminhado pela Prefeitura à representação do Ministério Público Estadual da comarca. No próximo ano, Ivan Júnior pretende intensificar as gestões com o objetivo de possibilitar que o Centro de Diálise existente no município e que atualmente está inativo possa ser restabelecido e, consequentemente, seja criada a condição para que portadores de doenças renais crônicas possam se submeter ao tratamento especializado na própria cidade. É um esforço ao qual o prefeito vem se dedicando desde o ano passado. O prefeito abriu um canal de diálogo com os proprietários da entidade no intuito de fazê-la voltar a operar. UPA Outra meta, trabalhada pela administração no âmbito do Ministério da Saúde, tem por objetivo dotar o Assú de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas. A UPA 24 Horas é uma estrutura de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e as portas de urgência hospitalares, onde em conjunto com estas compõe uma rede organizada de atenção às urgências. Este é um dos assuntos que serão tratados na viagem que o prefeito Ivan Júnior empreendeu a partir desta sexta-feira, 5 de novembro, à capital federal, onde permanecerá por cerca de 10 dias. HOSPITAL SANTA CATARINA COMEMORA 25 ANOS No próximo dia 13, o Hospital Dr. José Pedro Bezerra vai completar 25 anos de funcionamento. Também chamado de Santa Catarina (HSC), o hospital foi fundado em novembro de 1985. Para comemorar a data, a unidade de saúde está organizando uma série de ações. A programação terá início amanhã com a "Alvorada dos 25 anos". Pela manhã, funcionários e a comunidade local serão convidados a dar um abraço simbólico no HSC. Depois disso, todos sairão numa micareta pelas ruas adjacentes, com faixas parabenizando o hospital. "Todos estão muito mobilizados para a comemoração", afirmou Fátima Marques, assessora de Recursos Humanos do HSC. Na quinta-feira (11), o Santa Catarina promoverá um Ato Ecumênico e uma homenagem aos servidores e aposentados durante o dia. As festividades terão fim à noite, com uma festa em celebração também ao Dia do Servidor, comemorado em 28 de outubro. O diretor administrativo financeiro do hospital, Carlos Leão, fala da satisfação dos funcionários pelo aniversário do HSC. "Os parabéns, na verdade, são para a comunidade, que conta com um hospital que nunca interrompeu seus serviços. Nós ficamos muito felizes em prestar uma assistência de qualidade à população", garante. JORNAL DE FATO ESTADO CONVOCA 107 MÉDICOS PARA REGIONAIS O Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SESAP), está convocando médicos de várias especialidades, aprovados do último concurso público, para integrar os quadros de servidores do Rio Grande do Norte e suprir, especialmente, a necessidade de recursos humanos nos hospitais regionais do Estado. A relação com os nomes dos médicos foi publicada na edição desta sexta (5), no Diário Oficial do Estado. Os profissionais, que têm 30 dias para se apresentar a partir de sexta-feira passada na Secretaria Estadual de Administração e Recursos Humanos com a documentação exigida no Edital do Concurso, estão sendo destinados pela Secretaria de Saúde para hospitais de Natal e Mossoró, atendendo recomendação publicada pelo Ministério Púbico Estadual. Ao todo foram convocados 107 profissionais, entre neurologistas, anestesiologistas, pediatras, ortopedistas, cirurgiões gerais e outras especialidades. Os convocados serão encaminhados para as unidades hospitalares da Região Oeste e da Região Metropolitana de Natal. Em Mossoró, que atende a toda região Oeste, Vale do Açu, Região Litorânea e Vale do Jaguaribe, no Estado do Ceará, a principal carência é de pelo menos oito ortopedistas, sete anestesistas e cinco pediatras para compor a escala médica de atendimento no hospital. O concurso público para a área da saúde foi realizado no dia 23 de maio deste ano e o resultado com os nomes dos aprovados foi homologado no dia 26 de junho. Em julho, foram convocados os primeiros 375 profissionais para substituir os antigos contratos temporários em todos os hospitais regionais do Estado, como o Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos, em Assu; Hospital Regional Aguinaldo Pereira da Silva, de Caraúbas; Hospital Regional Hélio Morais Marinho, de Apodi, assim como o Hospital Regional de Pau dos Ferros. A diretora do Hospital Regional Aguinaldo Pereira da Silva, de Caraúbas, Sânsia Cristina, informou que recentemente recebeu um médico da Secretaria de Saúde do Estado. Segundo ela, é preciso pelo menos mais quatro clínicos gerais para atender a demanda de atendimento. "Eu enviei memorando ao secretário de saúde solicitando e não sei se vou ser atendida", diz a diretora. Carência maior de profissionais tem os hospitais de Pau dos Ferros e Assu. Segundo o subcoordenador de gestão de RH da Sesap, Eliseu Andrade, os médicos convocados devem comparecer o mais breve possível. "Quanto mais cedo o convocado se apresentar, mais rápido o processo tramita, visto que alguns exames necessários para a nomeação dos aprovados demoram até 15 dias para ficarem prontos", observou o subcoordenador. A partir desta semana, os convocados devem comparecer à sede da Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP), na Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 730, 1º andar, Centro, Natal, das 8h às 12h e das 13h às 17h, para dar início ao processo de posse. O prazo para a apresentação é de até 30 dias após a publicação oficial, ou seja, esse prazo encerra no dia 4 de dezembro. Assessoria de Comunicação do Cremern Telefone: 4006-5343 Contatos: Casciano Vidal: 9990-1473 Ana Carmem: 9909-4100
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 - o site do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Norte -Todos os direitos reservados
Av. Rio Branco, 398 – Cidade Alta - CEP 59.025-001 Natal/RN Fones: (84) 4006-5311, (84) 4006-5312
e-mail: atendimento@cremern.org.br CNPJ: 24.517.609/0001-09
 

FECHAR X