Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
AIDS: UMA EPIDEMIA FORA DE CONTROLE - Leia mais notícias no Clipping Cremern 02/12/2010
TRIBUNA DO NORTE AIDS: UMA EPIDEMIA FORA DE CONTROLE Tereza Dantas - médica infectologista do Hospital Gizelda Trigueiro/Sesap/RN Marise Reis de Freitas - médica e Prof. do Depto Infectologia e do Nesc-UFRN No dia 1º de dezembro, foi comemorado em todo o mundo, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS, uma data instituída em 1988 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma data simbólica de conscientização para todos os povos sobre a pandemia de AIDS. Inicialmente descrita no início dos anos 80, a AIDS revolucionou conceitos e comportamentos, evoluindo nestes 29 anos, de uma doença infecciosa 100% letal, encontrada em grupos de risco da sociedade, para uma doença controlável, disseminada para toda a população susceptível. As formas de transmissão mantêm-se as mesmas inicialmente descritas: a relação sexual desprotegida; o contato com sangue contaminado; e a da mãe para o filho intra útero, no momento do parto ou após o parto, se a criança for amamentada. As medidas preventivas também não mudaram, de modo que se preconiza o uso do preservativo durante todas as relações sexuais, o não compartilhamento de seringas ou outros materiais contaminados com sangue, e a adoção de medidas específicas que minimizam o risco de uma criança nascer infectada, se a mãe contaminada for identificada durante o pré natal. No entanto, a doença cresce em todo o mundo e representa um dos principais problemas de saúde pública, segundo a OMS. No Brasil, entre 1980 e junho de 2009 o Ministério da Saúde (MS) notificou 462.237 casos de AIDS, dos quais 59% na região sudeste, estando o nordeste responsável por 12% deste total (64.706 casos). A taxa de incidência de AIDS no país (casos novos) encontra-se estabilizada desde 2000, com 18,2 casos por 100.000 habitantes, no entanto nas regiões norte, nordeste e sul, a incidência é crescente. Na última década, a epidemia ampliou-se para heterossexuais, mulheres, jovens e idosos, saindo dos grandes centros para pequenas cidades no interior do país. No RN praticamente todo município tem ao menos um caso notificado. O MS estima que cerca de 160 mil pessoas no Brasil são positivas e não sabem. Uma vez adquirido o HIV por qualquer das formas de contaminação citadas acima, o indivíduo irá portar este vírus por toda a sua vida, podendo disseminá-lo, muitas vezes sem ter o conhecimento de seu estado de portador. O exame específico que irá identificar a presença do vírus (o anti-HIV), somente deverá tornar-se positivo a partir de 30 dias após a contaminação, assim permanecendo até o final da vida do indivíduo. Esse exame poderá ser solicitado em qualquer unidade de saúde do nosso estado, seja em serviço público ou privado. O resultado, confidencial e individualizado, deverá ser entregue por um profissional de saúde capacitado a oferecer as orientações necessárias em casos de exames negativos e positivos. No primeiro caso, é importante esclarecer que um exame negativo não indica imunidade, e que as medidas de prevenção deverão ser respeitadas para que a pessoa continue livre da infecção. Frente a um resultado positivo, é importante lembrar que o diagnóstico de “portador” indica que o vírus está presente no sangue e secreções do indivíduo, e que, a partir de então, este deve iniciar acompanhamento especializado para impedir que a doença venha a se manifestar, bem como adotar precauções para evitar a contaminação de outras pessoas. Ao longo de anos, a presença do HIV no organismo humano provocará a queda das defesas corporais de forma lenta e gradual, chegando a níveis críticos no final de um período médio de 8 a 10 anos, quando infecções oportunistas começam a surgir em razão da imunodeficiência. Nos anos iniciais, não existe manifestação clínica evidente da presença do vírus, de modo que o indivíduo permanece saudável, podendo ser um disseminador da infecção, caso não adote medidas preventivas. Este é o momento ideal para fazer o diagnóstico, pois o início do tratamento no momento adequado impedirá a manifestação de doenças oportunistas. Vale salientar que, devido a uma luta constante da sociedade civil organizada, o Brasil apresenta um dos melhores programas mundiais contra a AIDS, fornecendo gratuitamente pelo SUS, todos os insumos necessários para a prevenção, o diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos portadores do HIV e doentes de AIDS, garantindo que as conquistas alcançadas no mundo inteiro, estejam disponíveis no país. A despeito de uma política inovadora, ainda estamos distantes de conseguir controlar a epidemia, fato observado ao se identificar o crescente número de novas infecções. Neste 1º de dezembro, o país desenvolveu ações voltadas para a prevenção, aconselhamento, testagem, divulgação, e disseminou mensagens de esperança, solidariedade e apoio, reforçando o incentivo de novos compromissos na luta contra a AIDS. GAZETA DO OESTE AÇÃO CONTRA A AIDS INCENTIVA REALIZAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS Várias ações foram desenvolvidas ontem pela manhã na Praça Rodolfo Fernandes e à tarde na base da Petrobras, no bairro Bom Jesus, referentes ao Dia Mundial de Luta contra a Aids. A campanha é intitulada 'Previna-se e garanta um próspero ano novo'. De acordo com a coordenadora do programa municipal de DST/Aids, Elizângela Gurgel, a principal estratégia é obter um diagnóstico precoce. "As principais ações que estão sendo realizadas são os testes rápidos de HIV, cujos resultados saem em meia hora, e orientações sobre prevenção", explicou. Essa é a última ação relacionada ao ano de 2010, que será realizada até o dia 10 deste mês. "No próximo dia 4 estaremos na Cobal das 7h ao meio-dia. Já entre os dias 6 e 10 nós estaremos visitando as casas de prazeres para dar orientações, oferecer o exame rápido e entregar kits de prevenção e material educativo", destacou Elizângela Gurgel. Segundo ela, nessas ações itinerantes o normal é que sejam feitos 60 exames rápidos. "As ações itinerantes surgiram a partir de um serviço lançado em 2008, que é o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), que funciona no Pam do Bom Jardim. No cotidiano são oferecidos além dos testes de Aids, o de sífilis e hepatite, e em alguns casos a pessoa já é diretamente encaminhada ao Hospital Rafael Fernandes", continuou. De 2008 até hoje, 70 casos positivos de HIV foram detectados durante as campanhas nas ruas e as ações do cotidiano. "Fora essas ações estamos fortalecendo os serviços nas Unidades Básicas de Saúde. As visitas dos agentes de saúde devem ser trabalhadas com foco nessa temática", concluiu Elizângela Gurgel. PREFEITA APRESENTA PROPOSTA DO HOSPITAL MATERNO-INFANTIL A prefeita Fafá Rosado se reuniu ontem com a Promotoria da Saúde de Mossoró e com o Conselho Municipal de Saúde para detalhar a sua proposta de construção de um hospital materno-infantil. A ideia foi abraçada pela bancada federal do Rio Grande do Norte, que destinará recursos da ordem de R$ 60 milhões para a sua construção e compra de equipamentos. Na reunião desta quarta-feira, ao lado do secretário da Cidadania, professor Francisco Carlos, e da gerente Executiva da Saúde, Jacqueline Amaral, Fafá recebeu o promotor Guglielmo Soares e vários membros do Conselho de Saúde. Ela contou em detalhes quais os planos do município para transformar em realidade um antigo sonho de Mossoró. "Mostramos ao promotor e aos conselheiros que a ideia é dotar a maternidade pública de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica e neonatal (destinada a recém-nascidos", contou a prefeita. Fafá destacou que a falta de uma maternidade pública e das UTIs traz problemas sérios à saúde dos mossoroenses e das pessoas que são atendidas no município. A prefeita lembra que são realizados mensalmente cerca de 600 partos, o que demonstra a necessidade de o município contar com esse tipo de atendimento. Elogios - A prefeita disse aos promotores que a proposta da bancada federal de tornar o hospital em universitário veio atender a uma série de necessidades do município e da própria Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). "Ao mesmo tempo, o hospital vai atender à demanda por uma maternidade pública e incentivará a formação de novos profissionais na área de pediatria, cada vez mais escassos no Brasil", elogiou a prefeita. Fafá Rosado lembrou ao promotor e aos conselheiros a sua luta em favor da emenda. "Passei uma semana inteira em Brasília, batendo de porta em porta da nossa bancada federal, buscando o apoio para que Mossoró conseguisse recursos para a construção dessa obra, que é sem dúvida alguma um legado que deixaremos para as próximas gerações", emocionou-se. Fafá Rosado anunciou que o projeto arquitetônico do novo hospital-maternidade de Mossoró já está em andamento e que vai discuti-lo com o reitor da Uern, professor Milton Marques de Medeiros. Em audiência marcada para a manhã desta quinta-feira, 2, Fafá e Milton vão tratar da ação conjunta da Prefeitura e da Uern na instalação da maternidade pública. "Não tenho dúvidas de que diante do tamanho do benefício que iremos alcançar, toda Mossoró estará engajada neste trabalho que vai além dos desejos da prefeita ou do reitor, é uma necessidade da população", finalizou. O MOSSOROENSE VIGILÂNCIA À SAÚDE FISCALIZA VENDA DE ANTIBIÓTICOS NAS FARMÁCIAS DA CIDADE Desde domingo, 28, começou a valer a nova regra estipulada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a venda de antibióticos em todo o território nacional. A partir de agora esses remédios são considerados "tarja vermelha" e precisam ter uma via da receita arquivada pela farmácia. Mas, para garantir que as farmácias e drogarias cumpram com rigor a determinação do órgão, o Departamento de Vigilância à Saúde na cidade está fiscalizando diariamente os estabelecimentos. "Todo dia equipes de fiscais da Vigilância estão indo às farmácias para conferir se elas estão realmente retendo uma das vias da receita do medicamento. Estamos fazendo isso em todos os estabelecimentos cadastrados", garante a diretora do Departamento de Vigilância à Saúde, Allany Medeiros. Mas, segundo ela, existe também outro tipo de inspeção, a chamada "inspeção programada" que só é realizada em caso de denúncia. A diretora informa que caso o departamento detecte irregularidades na venda ou desacordo com a norma, o estabelecimento pode ser penalizado. "A punição dependerá da notificação que for feita ou da quantidade de medicamentos vendidos sem receita. A penalidade pode variar entre advertência, multa, apreensão de medicamentos e até interdição". As penalidades podem ser aplicadas pelo Departamento Municipal de Vigilância por recomendação da própria Anvisa. Até abril de 2011, os estabelecimentos que comercializam produtos farmacêuticos também deverão emitir relatórios à Anvisa sobre os antibióticos comercializados. "Os relatórios servem para controle da agência, mas a Vigilância poderá ter acesso a eles caso haja necessidade", garante Allany. A população também pode auxiliar denunciando a prática ilegal dos estabelecimentos através do número 3315-2523. A responsável garante que as denúncias podem ser feitas anonimamente, bastando ao denunciante informar apenas o endereço completo. A medida adotada pela Anvisa tem o objetivo de reduzir o consumo indiscriminado de medicamentos dessa categoria que podem provocar a resistência das bactérias a determinadas substâncias contidas nos antibióticos. CORREIO DA TARDE CRIANÇAS INTERNADAS OU DE PASSAGEM PELO HOSPITAL VARELA SANTIAGO RECEBERÃO PRESENTES DE NATAL As crian­ças do Hos­pi­tal In­fan­til Va­re­la San­tia­go terão um Natal es­pe­cial este ano. O pro­je­to "Caern na Co­mu­ni­da­de" es­ta­rá na en­ti­da­de fa­zen­do a en­tre­ga de pre­sen­tes para as crian­ças in­ter­na­das ou de pas­sa­gem pelo hos­pi­tal no dia 16 de de­zem­bro. O even­to tem o ob­je­ti­vo de cha­mar aten­ção da so­cie­da­de para a im­por­tân­cia das doa­ções em di­nhei­ro que podem ser fei­tas ao Va­re­la por meio da conta de água da Com­pa­nhia de Águas e Es­go­tos do Rio Gran­de do Norte (Caern). As doa­ções na conta de água já podem ser re­no­va­das para 2011. A ade­são pode ser feita por meio do site da Caern no www.caern.com.br ou do hos­pi­tal no www.hos­pi­tal­va­re­la­san­tia­go.org.br. Junto com a conta de água de de­zem­bro, os con­su­mi­do­res da Caern que já doam para o hos­pi­tal co­me­ça­rão a re­ce­ber a pro­pos­ta de re­no­va­ção da ade­são à cam­pa­nha onde deve in­for­mar o valor a ser re­pas­sa­do ao Va­re­la San­tia­go. Quem ainda não doa tam­bém pode par­ti­ci­par. O hos­pi­tal pos­sui 110 lei­tos dis­tri­buí­dos nas di­ver­sas es­pe­cia­li­da­des mé­di­cas. Além de aten­di­men­to ro­ti­nei­ro às crian­ças, o hos­pi­tal pos­sui área para in­ter­na­men­tos e tra­ta­men­to de pa­to­lo­gias ge­rais e outra para doen­ças infecto-contagiosas. Para aten­di­men­to de maior com­ple­xi­da­de o hos­pi­tal pos­sui Clí­ni­ca Ci­rúr­gi­ca in­cluin­do pro­ce­di­men­tos de ca­be­ça e pes­co­ço, rea­li­za­ção de neu­ro­ci­rur­gias, neo­na­to­lo­gia, Uni­da­de de Te­ra­pia In­ten­si­va Pe­diá­tri­ca e o Cen­tro de Onco-hematologia In­fan­til. Em média são rea­li­za­dos 9 mil pro­ce­di­men­tos por mês, além dos ser­vi­ços com­ple­men­ta­res como: Far­má­cia, La­bo­ra­tó­rio, Qui­mio­te­ra­pia, Brin­que­do­te­ca, Ser­vi­ço So­cial, Psi­co­lo­gia, Fi­sio­te­ra­pia, Te­ra­pia Ocu­pa­cio­nal, entre ou­tros. O aten­di­men­to am­bu­la­to­rial en­vol­ve der­ma­to­lo­gia, en­do­cri­no­lo­gia, gas­roen­te­ro­lo­gia, in­fec­to­lo­gia, ne­fro­lo­gia, neu­ro­ci­rur­gia, odon­to­lo­gia, of­tal­mo­lo­gia, or­to­pe­dia, pe­dia­tria em geral e otor­ri­no­la­rin­go­lo­gia. Todos os pro­ce­di­men­tos são rea­li­za­dos por meio do Sis­te­ma Único de Saúde (SUS), cum­prin­do a mis­são do hos­pi­tal de en­ti­da­de fi­lan­tró­pi­ca de aten­di­men­to a crian­ças oriun­das dos vá­rios mu­ni­cí­pios. Assessoria de Comunicação do Cremern Telefone: 4006-5343 Contatos: Casciano Vidal: 9990-1473 Ana Carmem: 9909-4100
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 - o site do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Norte -Todos os direitos reservados
Av. Rio Branco, 398 – Cidade Alta - CEP 59.025-001 Natal/RN Fones: (084) 4006-5333, 4006-5309, 4006-5310, Fax (084) 4006-5308
e-mail: atendimento@cremern.org.br CNPJ: 24.517.609/0001-09
 

FECHAR X