Entidades querem que os brasileiros saibam como identificar os sintomas, as formas de prevenção e como agir em caso de AVC, um transtorno que afeta cerca de 16 milhões de pessoas no mundo, todos os anos

altO Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Academia Brasileira de Neurologia (ABNeuro) participam no Dia Mundial do AVC (29 de outubro) e lançam alerta que visa reduzir a incidência e as sequelas desse transtorno grave, que atinge cerca de 16 milhões de pessoas no mundo, todos os anos. Acesse o site oficial da campanha: /www.avc.cfm.org.br

Para tanto, durante o dia 29 de outubro, será colocado no ar um site com informações sobre a doença, validadas por especialistas do assunto. Além disso, será iniciada uma ação de esclarecimento por meio de mídias sociais, com orientações sobre como prevenir o AVC. Nas peças, é ressaltada a necessidade de atendimento médico o mais rápido possível, após o aparecimento dos primeiros sintomas.

Para saber se alguém está sofrendo um AVC (Acidente Vascular Cerebral), é preciso pedir que ela sorria, levante os dois braços e diga uma frase simples. Caso o sorriso fique torto, um dos braços caia e ela não consiga repetir a frase, não necessariamente os três sintomas, provavelmente esta pessoa está sofrendo um AVC e deve ser encaminhada imediatamente para um hospital.

Por conta disso, o CFM e a ABNeuro alertam que o paciente deve ser avaliado de forma bem precoce e receber tratamento em até quatro horas e meia para que as sequelas sejam menores. O AVC tem boa possibilidade de prevenção, desde que tomados os devidos cuidados.

Durante a campanha, será lançado um site com informações sobre a prevenção e os primeiros cuidados que deverão ser dados a quem sofre um AVC. Além disso, serão gravados depoimentos com pessoas que sofreram, ou que têm parentes acometidos pela doença. Outra frente da do alerta serão as redes sociais, com a criação de peças a serem compartilhadas pelo Facebook, Twitter e Instagran. “Quanto mais pessoas souberem que é possível prevenir o AVC e que, na fase aguda, o serviço médico deve ser acionado imediatamente, menor o número de pessoas sequeladas”, defende Hideraldo Cabeça, conselheiro federal pelo Pará do Conselho Federal de Medicina (CFM) e membro titular da ABNeuro.

Leia mais:

Desconhecimento sobre prevenção, sintomas e não saber como agir em caso de crise é problema entre brasileiros

Olho do relógio e um sorriso podem ajudar a acelerar tratamento e reduzir as sequelas em caso de AVC

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.
AGENDAMENTO ONLINE
Atendimento presencial na sede do CREMERN
Carregando...